Receitas cruas

A minha alimentação mudou a minha vida

Descobri com a vida a importância de uma alimentação saudável, e mudei totalmente os meus hábitos alimentares e estilo de vida. 

E porquê?

Porque descobri que caminhar para um
estado de saúde afasta a doença.

Esta é a minha maior crença!

A minha alimentação

Eu aprendi da pior maneira o que uma mudança de estilo de vida pode fazer por uma pessoa. Mudei radicalmente a minha alimentação e a forma como olho para o alimento. Hoje, como porque me sabe bem e porque me faz bem! Percebi que existem alimentos que o meu corpo não tolera, e que tenho por isso uma limitação. Uma limitação que se tornou uma força interior, e me fez perceber a importância do alimento – tem que ser nutritivo e dar-me a energia que preciso.

E como é que o consegui fazer? Comecei por olhar de dentro para fora, isto é aprendi a ler e a conhecer o meu corpo (acreditem é tarefa difícil e é preciso muito foco e empenho). Mas não há nada como aprendermos faze-lo – estamos juntos 24h sobre 24h, ninguém o faz melhor que nós próprios! Mas para isso precisamos de estar alertas.

E isso implicou uma mudança.

E o grande foco foi alimentar:

  • Comecei por tirar das minhas rotinas  os alimentos que me causam inflamação.
  • Foquei-me na importância do nutriente e de uma alimentação completa.
  • Foquei-me em trazer para a minha alimentação ingredientes completos e verdadeiros, tirando partido e potênciando o melhor de cada ingrediente.
  • Opto sempre que possível pelos ingredientes no seu estado mais natural – produtos integrais e biológicos, livres de transformação. Evito os refinados e processados.
  • Introduzi os alimentos que fortalecem o sistema imunitário, como os anti-inflamatórios naturais, bem presentes nos alimentos com que cresci, e outros que fui descobrindo com a vida e cujas propriedades são incríveis.

Ao tirar da minha rotina os alimentos que me fazem mal, e trazendo os alimentos que verdadeiramente importam, o meu corpo trabalha na perfeição, a minha energia e vitalidade são outros, e o meu peso mantém-se estável.


E quanto aquela eterna questão:
É para sempre? Podemos fazer asneiras?

“O grande problema não está no que comemos de vez em quando, mas sim no que comemos a maioria das vezes”

Uma frase que me marcou mal iniciei o meu curso como Health Coach com Joshua Rosenthal, fundador e diretor do Institute of Integrative Nutrition, e que se tornou a “regra” cá de casa.


É fundamental aprendermos a gerir o dia-a-dia, não entrando em extremos – porque os extremos tocam-se, e rapidamente deitamos a perder uma caminha de vital importância. Aprender a ler o nosso corpo e tratar dele é uma missão que temos para a vida, e devemos faze-la com consciencia, serenidade e muita cautela. E se temos filhos temos que aprender a lê-los também.

Todos queremos seguir uma determinada dieta, mas a grande verdade é que cada um deve aprender a conhecer o seu corpo, tentando compreendê-lo em cada fase da vida, e dando-lhe aquilo que precisa para viver com o melhor de si. Eu não tenho uma dieta, tenho sim todo um novo estilo de vida onde a alimentação é a peça fundamental e responde às minhas necessidades.

Não conto as calorias dos alimentos, simplesmente como o que sei que me faz bem. Opto por produtos locais e da estação, dou preferência aos produtos no seu estado mais natural, completos, inteiros e livres de transformação. Foco-me no nutriente e acabo por isso por precisar de comer menos.


GuardarGuardar

Leave a Reply

%d bloggers like this: